Bitcoin é bolha ou não? Analise primeiro!

Depois de um ano de 1.400% de crescimento, o Bitcoin chamou muito a atenção de “especialistas”. Agora todos querem dar o seu pitaco a respeito da criptomoeda, tentando explicar superficialmente que não é possível que algo cresça tão rápido sem ser uma bolha.

No vídeo abaixo, explicamos alguns aspectos importantes sobre o assunto, ouça com atenção e anote os pontos relevantes, pois é um vídeo bastante instrutivo (você pode deixar suas dúvidas nos comentários do vídeo no Youtube):

Se gostou do vídeo, não esqueça de se inscrever no canal!

Nesse artigo abaixo, antes de começar os argumentos, é importante destacar os motivos que fazem as pessoas defenderem que o Bitcoin é uma bolha:

1) O preço subiu muito em um intervalo curto de tempo. Isso caracteriza uma bolha financeira?

subida rapida do precoÉ evidente que economistas, ou pessoas ambientadas com o mercado financeiro, fiquem apavoradas com a valorização do Bitcoin. Um crescimento normal de um ativo financeiro é da ordem de 10% ao ano (isso depende de diversos fatores, como a situação do país e o investimento, obviamente). Se você consegue uma rentabilidade de 30% ao ano, por exemplo, é motivo para emoldurar o resultado na parede, pois tal façanha é raríssima.

O que costuma acontecer com ativos que valorizam muito é uma rápida desvalorização no ano seguinte. Então se você conseguiu uma valorização no seu portfólio de 30%, muitos irão dizer que você teve sorte e que isso irá corrigir no próximo ano, afinal você está fazendo investimentos arrojados e arriscados.

Com essa mentalidade, olhar para a curva de preços do Bitcoin é angustiante. Mais de 1.000% em um ano, com pico de 2.000%. Esses números fazem muitas pessoas nem quererem pensar a respeito do assunto. “É bolha!” eles dizem por instinto.

Porém, crescimento rápido não caracteriza bolha. Imagine que hoje foi descoberto um novo metal precioso que possui características bem relevantes para a indústria, mas que é muito fácil de ser obtido em laboratório. O preço de tal metal nasceria sendo cotado, por exemplo, a $ 10,00 a unidade. Uma semana depois, descobre-se que não é tão fácil criar esse metal em laboratório como se pensava, e que – na realidade – é preciso alto custo em equipamentos e outros minerais para mistura até se chegar na composição ideal. Isso faz o preço mudar para $ 1.000,00 a unidade. Esse crescimento absurdo em valor dentro de 1 semana significa que trata-se de uma bolha financeira? Obviamente não, pois existem motivos concretos para a oscilação e para o preço estar no patamar atual.

Então podemos ver que será preciso argumentos mais convincentes do que esse para caracterizar o Bitcoin como bolha.

 2) Muitos esquemas de pirâmide estão sendo montados. Vejo propostas de riqueza em pouco tempo. Isso caracteriza bolha?

piramides financeirasInfelizmente, quando um mercado pouco conhecido ganha rápida ascensão, é inevitável que pessoas sem caráter se aproveitem da situação para querer tirar vantagem ilícita. Algumas pessoas estão spamizzando a internet fazendo propagandas e vendendo cursos sobre “fique rico comprando Bitcoin“, “Bitcoin deixa adolescente rico“, etc. Quem não conhece o mercado, mas é um pouco mais sensato, acaba levantando suspeitas e isso prejudica a imagem do Bitcoin.

Mas a verdade é que o Bitcoin em si não tem nada a ver com isso. Essas propagandas são apenas mentiras e ilusões. É evidente que não se pode garantir rendimentos futuros baseando-se no passado. Nenhum desenvolvedor de código da comunidade Bitcoin faz esse tipo de venda do produto, pelo contrário. Se você conhecer quem está por dentro da tecnologia, verá que a primeira coisa que irão lhe falar é: “estude a tecnologia primeiro, antes de qualquer coisa”; “antes de investir dinheiro, invista tempo em estudo”.

Ok, então se a comunidade Bitcoin não tem qualquer relação ou intenção de criar pirâmides financeiras e coisas do gênero, como podemos afirmar que o mercado como um todo não entrou por causa das propostas mentirosas dos difamadores, criando uma demanda surreal interessada apenas em lucrar e sair fora?

Pense um pouco. A compra e venda de Bitcoins ainda não é tão simples de ser feita como ocorre com a bolsa de valores, por exemplo. Então não é qualquer pessoa de idade que irá sair comprando seus bitcoins, gerando endereços e armazendando em wallets. Isso exige um pouco de expertise. Não muito, basta pesquisar um pouco, mas é já uma primeira barreira.

A outra barreira é o volume financeiro. Grandes investidores em geral não acreditam nessas propostas ridículas e fraudulentas criadas pelos spammers. Quem acaba caindo nessas propagandas são as pessoas mais humildes que não possuem muito conhecimento, experiência ou senso crítico. Mas quanto que essas pessoas representam no montante final comercializado de Bitcoin?

Na bolsa de valores, existe uma expressão: “tubarão” e “sardinha”. Tubarões são as grandes empresas e investidores, capazes de movimentar milhões de dólares. Sardinhas são os pequenos investidores, os trabalhadores das classes baixa e média. No caso do Bitcoin, o mesmo cenário existe, os pequenos investidores que conseguiram entender como comprar e vender Bitcoin e que foram iludidos por propostas de riqueza rápida representam uma fração pequena do mercado em volume. Não há como ser diferente.

Muitas pesquisas já foram feitas a respeito da valorização do bitcoin, em que ponto os investidores estariam dispostos a vender a criptomoeda. Essa pesquisa, por exemplo, mostrou que o valor médio estimado de venda é na casa dos $ 200.000,00 dólares! O preço naquele momento estava em 6.000,00. Em uma bolha, ninguém planeja segurar o ativo por tanto tempo.

3) Eu não comprei, então não quero ver ninguém lucrando.

Ninguém vai admitir esse raciocínio, mas sim, é um dos motivos que faz as pessoas criticarem as criptomoedas. Não gosto desse termo, mas é a famosa “inveja”, no sentido de que você teve medo de investir acreditando que não se trata de uma coisa séria e segura, aí vê os seus colegas inconsequentes tomando um alto risco investindo nisso, você pensa que está fazendo a coisa certa, então vê esses mesmos colegas lucrando absurdamente. Surge um sentimento de raiva que faz você torcer para que uma desgraça aconteça, que tudo venha a sucumbir, para que você possa rir sozinho ao ver todos perdendo dinheiro enquanto você foi o sensato da história.

Acredite, muitos defendem que o Bitcoin é uma bolha apenas por causa desse fator psicológico.

Esses são os 3 argumentos mais comuns a respeito de bolha do Bitcoin. Como você pode ver, são muito fracos. Outros argumentos criticam a tecnologia em si, então eles serão debatidos a seguir.

Argumentos que fazem o Bitcoin não ser uma bolha:

1) Existe uma tecnologia disruptiva que motiva a utilização e o interesse pela moeda

O blockchain, tecnologia que permitiu a descentralização das operações financeiras do Bitcoin, é uma inovação reconhecida por todos. Não há dúvidas de que essa tecnologia veio para ficar, existem inúmeras empresas de renome e universidades desenvolvendo aplicações na tecnologia. É um mundo novo que está surgindo e despertando interesse da comunidade científica. Além disso, a aplicação do Bitcoin na prática já se mostrou útil no que se refere às transações financeiras entre pessoas físicas sem as barreiras tradicionais.

2) A oferta é limitada e a demanda ainda é pequena

Diferentemente de outras bolhas, o Bitcoin ainda está longe de ter esgotado a potencial demanda do mercado. Outras bolhas financeiras como a bolha da internet e a bolha imobiliária (hipotecas dos EUA) estavam saturadas no quesito demanda: todo o mercado estava ali, colocando mais dinheiro do que fazia sentido. No caso do Bitcoin, tem-se uma oferta limitada (não serão emitidas mais de 21 milhões de bitcoins, isso é uma regra estabelecida no sistema desde sua criação), e uma demanda com potencial enorme de crescimento, afinal o Bitcoin representa uma pequena fração do mercado (o mercado de ouro, por exemplo, movimenta 8 trilhões de dólares, o mercado de bolsas de valores movimenta 70 trilhões). Esses mercados possuem potenciais investidores para o Bitcoin, considerando o uso da moeda como reserva de valor e hedge financeiro.

3) Empresas de tecnologia e universidades estão trabalhando nesse mercado

papers cientíticosAs maiores empresas de tecnologia como Microsoft, IBM, entre outras, estão desenvolvendo sistemas descentralizados utilizando como base a rede Bitcoin e outros sistemas cripto como o Tangle. Outros gigantes como o Google estão investindo em criptomoedas específicas acreditando na sua valorização. Como se não bastasse, universidades como MIT, Harvard, entre outras, possuem diversos projetos e estudos a respeito de sistemas descentralizados também, provando que se trata de uma disrupção tecnológica, não apenas uma “moda”.

Se você analisar alguns projetos de criptomoedas específicas como Cardano, por exemplo, irá ver que na equipe de desenvolvimento existem diversos cientistas, PHDs, engenheiros, progamadores laureados, especialistas criptográficos, etc. Será que essa força intelectual está iludida desenvolvendo uma tecnologia que não passa de uma bolha?

4) As criptomoedas estão à frente do sistema financeiro atual em diversos aspectos

Apesar de representarem uma fração muito pequena do mercado financeiro, as criptomoedas possuem algumas características tecnológicas superiores ao sistema financeiro atual. Um exemplo é a preparação para a era da computação quântica. Diversos projetos de criptomoedas já estão trabalhando para serem quantum resistant, ou seja, estão prevendo que a era dos computadores quânticos está se tornando realidade e pode quebrar os sistemas criptográficos atuais e estão estudando a fundo soluções práticas. O sistema financeiro ainda está muito atrás nesse aspecto. É bem possível que, no futuro, os desenvolvedores do mercado de criptomoedas prestem consultoria para todo o sistema financeiro atual fornecendo soluções para a nova era de poder de processamento computacional.

5) A utilidade das criptomoedas vai muito além do mercado financeiro

Como se não bastasse, a tecnologia de descentralização não se limita a mercados financeiros. Diversos projetos de criptomoedas estão sendo criados para resolver problemas em camadas tecnológicas específicas como a internet das coisas, smart contracts, sistemas gerenciais, etc. Isso não apenas representa uma demanda ainda maior, mas também representa mais força intelectual, pois requer mais desenvolvedores de diferentes áreas trabalhando na tecnologia.

6) O bitcoin já existe há 10 anos

Às vezes os críticos esquecem que o Bitcoin não surgiu ontem. O projeto e a tecnologia já existem desde 2008, movimentam dinheiro desde 2011, e já passaram por muitos “altos e baixos” ao longo desse processo. Isso representa uma certa maturidade, que ficará cada vez mais evidente ao longo do tempo.

Conclusão

Existem ainda outros aspectos para se comentar, pois essa discussão não é curta. Mas uma coisa é certa: o Bitcoin é diferente de tudo o que já aconteceu antes, então qualquer tentativa de comparação com bolhas financeiras do passado é equivocada. Subestimar o potencial das criptomoedas não é inteligente. Para quem trabalha no mercado financeiro e tem medo de que essa disrupção mude as regras do jogo, a melhor opção é estudar bastante essa nova tecnologia antes que seja tarde demais e que seus conhecimentos caracterizem um ex-especialista do ramo.

Investir em qualquer mercado sem conhecimento é um erro. Não recomendamos que você coloque seu dinheiro naquilo que não conhece. Estude por conta própria e chegue nas suas próprias conclusões.