O que é Cardano (ADA)?

cardano adaExistem mais de 7.000 criptomoedas no mercado atual, e como todos devem saber, 90% dessas moedas são nada mais do que cópias do Bitcoin ou ainda “fake coins”. Com o tempo, as criptomoedas que não agregam valor tendem a perecer. Mas esse definitivamente não parece ser o destino da Cardano.

Resumidamente falando, Cardano é o projeto de código aberto da terceira geração de criptomoedas. O Bitcoin marcou a primeira geração, Ethereum marcou a segunda, e Cardano será a terceira geração. Cada geração trouxe suas respectivas características e funcionalidades. O projeto Cardano, por meio da moeda ADA, pretende unir as melhores características e funcionalidades de todas as mais de 7.000 criptomoedas que já foram criadas, resolvendo problemas e oferecendo novas soluções para o mundo cripto.

O desenvolvimento Cardano se baseia em metodologia científica (o primeiro do mundo cripto a utilizar tal conceito), e conta com uma incrivelmente forte equipe de pesquisadores, cientistas, engenheiros, desenvolvedores, além de grandes nomes já conhecidos desse mercado, como Charles Hoskinson, co-inventor e ex-presidente da Ethereum.

O projeto como um todo é bastante ambicioso e revolucionário, mas você irá entender como tudo isso é possível de ser conquistado ao ler esse artigo. Iremos explicar cada característica da moeda detalhadamente.

Cardano como moeda: ADA

Um dos objetivos da Cardano é atuar como moeda digital, semelhantemente ao Bitcoin (que representa primeira geração de criptomoedas), utilizando um sistema blockchain. Uma das filosofias da empresa é servir como alternativa de meio de pagamento para bilhões de pessoas que residem em países que não possuem acesso a bancos. Para ser útil nesse aspecto, uma característica importante é a velocidade nas transações.

O Bitcoin, por exemplo, processa cerca de 7 transações por segundo (TPS). Isso é lento quando comparado à quantidade real de transações operacionalizada por sistemas globalmente reconhecidos como Paypal e cartões de crédito, compare abaixo o número de transações por segundo entre diferentes meios de pagamento:

transações por segundo criptomoedas

As declarações da Cardano em relação à velocidade de transações sugerem que eles estão preparados para ter a velocidade necessária para escalar mundialmente. Ao ler esta discussão, por exemplo, podemos ver Charles Hoskinson (utilizando o nickname de ethereumcharles) explicando que é necessário não apenas possuir uma velocidade alta nas transações, mas também estar pronto para escalar, ou seja, permitir um crescimento rápido da demanda sem comprometer a rede.

Em outras palavras, não adianta colocar em uma campanha de marketing que o projeto possui 1000 TPS se, dependendo da demanda, esse valor pode cair. Um projeto precisa ter uma velocidade compatível com a demanda. Se a demanda requer 50 TPS, o projeto precisa ser capaz de entregar 50 TPS. Caso a demanda cresça 10x, o projeto precisa passar a realizar 500 TPS. O objetivo da Cardano é justamente esse: escalar o sistema de acordo com a demanda. Como tudo isso envolve diferentes fatores, o time Cardano aborda a questão com diferentes abordagens e tecnologias, como Praos e RINA.

Escalabilidade é um dos principais pré-requisitos para uma criptomoeda, e o Bitcoin, por exemplo, já está enfrentando problemas em relação a isso, pois o crescimento da demanda congestionou a rede e aumentou o preço da tarifa nas transações (ocasionando uma queda nos preços no final de 2017). Algumas soluções já estão sendo propostas pela comunidade Bitcoin, como a implementação da rede Lightning Network. Porém essas implementações levam tempo para ficarem seguras e serem adotadas completamente pela rede. Um dos problemas do Bitcoin é justamente ir “se ajustando” ao longo do caminho (quando surge um problema, a comunidade tenta resolver fazendo alterações no sistema; isso nem sempre é positivo, pois pode acabar criando um “Frankenstein”).

A Cardano está sendo desenvolvida desde o princípio para não passar por esses problemas, sendo projetada com olhos no futuro, contendo complexas soluções técnicas para os maiores problemas, de maneira que a moeda possa atingir uma escalabilidade sem precedentes.

Charles Hoskinson já fez algumas declarações informando que a Cardano já está habilitada para processar cerca de 100-200 TPS (o que já é ótimo para uma grande demanda). Quando o projeto entrar na fase Basho em 2021-2022, serão implementadas as soluções para permitir que o projeto atinja seu objetivo final de escalar conforme a necessidade.

Modularidade

Para evitar que alterações futuras na arquitetura sejam traumáticas como ocorre com os demais projetos, a Cardano está construindo um projeto modular, isso significa que o protocolo é facilmente adaptável a atualizações no código. O segredo está na construção de layers que dividem as arquiteturas em diferentes partes, fazendo com que o conjunto completo das funcionalidades do projeto não seja uma teia de aranha (onde uma alteração em uma parte afetaria outras partes de forma imprevisível), ao contrário, seja conectado em uma arquitetura de fácil reposição e manutenção para upgrades futuros.

A equipe responsável por essas implementações blockchain dentro da Cardano é a empresa IOHK, que já foi diversas vezes citada pela revista Forbes como disruptiva em pesquisa e desenvolvimento no setor, sendo especializada em construir sistemas blockchain para instituições acadêmicas, governos e corporações.

Proof of Stake (PoS) Cardano

O Bitcoin trabalha com Proof of Work (PoW) na validação das transações. Essa tecnologia requer muito esforço computacional e gastos de energia. Tal sistema tem sido muito questionado pelo grande desperdício de energia para garantir que as validações da rede sejam seguras. Uma alternativa que algumas criptomoedas utilizam é o Proof of Stake (PoS), que não depende de esforço computacional ou gastos de energia, sendo muito mais eficiente e econômico.

Porém, o PoW é muito mais seguro, e sempre existiram temores a respeito do PoS. Por isso, algumas criptomoedas mesclam os dois sistemas, tentando aproveitar as vantagens de ambos.

O time Cardano, contudo, trabalhou muito para criar e desenvolver o primeiro sistema PoS 100% seguro, submetendo a solução para revisão acadêmica em diversas universidades e obtendo aprovação científica para tal. Ou seja, isso representa uma revolução, pois significa que será possível validar as transações da rede blockchain com muito mais eficiência, economia, velocidade, sem perder em segurança. O protocolo utilizado para tal solução chama-se Ouroboros. Se você for um especialista e tiver interesse em ler a solução com detalhes, confira o paper oficial.

Staking – ganhando dinheiro por segurar Cardano

Os projetos que possuem um protocolo PoS remuneram os usuários que mantêm uma grande quantidade de moedas e que rodam um nó completo (full node) da rede. Essa remuneração consiste em receber mais moedas, algo parecido com a recompensa de mineração do Bitcoin. Na Ethereum, por exemplo, é preciso ter pelo menos 32 ETH (equivale a uns 5 mil dólares  – na cotação de $150/ETH) para poder receber as recompensas de staking.

A Cardano revolucionou o conceito de staking permitindo que qualquer pessoa, com qualquer quantidade de ADAs, realize o staking e esteja elegível para receber recompensas. Já é possível escolher uma pool de staking e delegar suas ADAs para o administrador da pool para que elas sejam úteis na obtenção de consenso e segurança da rede.

Como todos podem participar, isso é estímulo aos detentores de ADAs para não venderem suas moedas e receberem as recompensas, o que pode causar um efeito de alta nos preços.

Smart Contracts Cardano

smart contracts dappsO projeto Ethereum (ETH) revolucionou o mercado de criptomoedas por oferecer a possibilidade de programação e construção de contratos inteligentes (smart contracts) em cima de sua plataforma. Isso permitiu que desenvolvedores passassem a programar e criar seus próprios sistemas e soluções utilizando a rede Ethereum, criando inclusive outras moedas dentro desse sistema, os chamados tokens. Hoje existem milhares de tokes construídos sob o sistema Ethereum, representando fortes projetos como OmizeGO, Golem, entre outros.

Foi realmente uma revolução para o mercado cripto, marcando a segunda geração de criptomoedas. A Cardano terá também essa possibilidade de criação de smart contracts em seu sistema, e oferecerá inúmeras melhorias em relação à rede Ethereum e a outros sistemas semelhantes.

Um dos principais quesitos será em relação à segurança. Existem muitos rumores sobre possíveis brechas de segurança nos sistemas de smart contracts, e o time Cardano está trabalhando seriamente para criar o sistema de aplicações descentralizadas (dApps) mais seguro do mundo, validado pelos maiores especialistas em criptografia.

Vários aprimoramentos estão previstos nesse sistema, permitindo uma programação mais eficiente e amigável para os desenvolvedores. Diferentemente da Ethereum, que utiliza uma linguagem de programação própria para o desenvolvimento em sua plataforma (chamada Solidity), a Cardano irá possibilitar a criação de smart contracts e dApps com as mais famosas linguagens de programação do mercado, como Python, Javascript, etc. Isso permitirá que os desenvolvedores utilizem toda a sua expertise para criar aplicações na plataforma Cardano, sem a necessidade de ter que aprender uma nova linguagem.

Migração Ethereum -> Cardano

Os projetos que já foram construídos na Ethereum antes do lançamento da funcionalidade de smart contracts da Cardano podem ser rapidamente migrados para a Cardano por meio da máquina virtual KEVM. Esse protocolo foi criado exatamente com esse objetivo: permitir que projetos na Ethereum mudem de plataforma sem precisar reescrever todo o seu código do zero.

Essa possibilidade de migração rápida é muito convidativa, pois permite que os projetos já estabelecidos no mercado usufruam de mais funcionalidades, segurança, velocidade, sem precisar adaptar seu código a outra plataforma. Isso pode inclusive criar uma evacuação em massa da Ethereum para a Cardano.

Para a utilização de funcionalidades extras como bibliotecas prontas, interfaces amigáveis, utilização de qualquer linguagem de programação, entre outras características da Cardano, existe outro ambiente voltado para esse “módulo avançado” de smart contracts, chamado IELE. Dessa forma, KEVM e IELE são máquinas virtuais com diferentes estratégias e objetivos para os projetos dentro do ecossistema Cardano.

Verificação formal

nasaUma das maiores inovações da Cardano é a possibilidade de permitir verificação formal de software. Verificação formal consiste em uma revisão minuciosa do código criado para garantir que não haja nenhuma falha crítica no sistema. Atualmente, apenas empresas que trabalham com projetos muito críticos como sistemas aéreos possuem verificação formal, pois é muito caro esse tipo de abordagem. Como aviões carregam centenas de passageiros, o sistema não pode falhar, então esse investimento é necessário.

Porém, um sistema financeiro que movimenta bilhões de dólares também precisa de verificação formal, pois não é admissível que brechas de segurança ou bugs resultem em perdas milionárias.

Por isso, a empresa Runtime Verification está trabalhando na criação de um protocolo de verificação formal dentro da Cardano. A Runtime Verification lidera a pesquisa mundial nesse ramo, tendo como clientes a NASA, Boeing, Toyota, National Science Foundation, entre outros. O objetivo da Runtime Verification é criar um sistema automatizado de verificação formal mais rápido e eficiente.

O PhD Grigore Roșu, presidente da empresa, lidera a área de desenvolvimento de smart contracts da Cardano, levando esse conceito para o blockchain. Será um produto nunca antes visto pelo mercado, permitindo que projetos pequenos tenham acesso a um recurso antes restrito apenas a grandes corporações.

https://www.youtube.com/watch?v=y8JevweNH8o

Adoção de empresas e usuários

A equipe que está trabalhando na promoção das construções de aplicações descentralizadas dentro da Cardano é a empresa Emurgo, que possui centros de pesquisa e desenvolvimento no Japão (sede), Filipinas e Coréia do Sul. Na primeira fase de construção da comunidade, a Emurgo se concentrará no estabelecimento de infra-estrutura para que posteriormente possa implantar fundos para projetos estratégicos e desenvolvedores de aplicativos.

A Emurgo auxilia empresas a implementar estratégias e desenvolvimentos de aplicações descentralizadas no software Cardano para a indústrias. As empresas podem obter assistência de empreendimentos especializados na comunidade Emurgo (existem diversos setores: Emurgo Finance, a Emurgo Legal e a Emurgo Logistics), que se concentrarão no desenvolvimento de aplicações comerciais para empresas que buscam soluções em seus respectivos campos.

Alguns exemplos de projetos que estão trabalhando em cooperação com a Emurgo são:

Catallact: mecanismo de análise de blockchain para o setor financeiro, com foco em inteligência de mercado e conformidade regulamentar.

Helixworks: integra etiquetas de identificação baseadas em DNA a bens físicos. Quando combinadas com tecnologias de contabilidade digital, as IDs de DNA fornecem um mecanismo eficaz para rastrear alimentos, remédios e outros produtos da cadeia de fornecimento que sejam seguros.

Sempo: voltado para organizações de ajuda no processo de distribuir fundos de socorro diretamente a pessoas em necessidades, para que possam comprar imediatamente o que precisam. Eles resolvem a inscrição dos beneficiários, o desembolso de caixa e o monitoramento do programa em uma plataforma integrada.

Tesseract: objetivo de padronizar e simplificar a maneira como as aplicações interagem com blockchains para torná-lo tão conveniente quanto interagir com a Internet. Seu protocolo OpenWallet de múltiplas redes, implementação de referência de carteira móvel e suporte a SDKs para desenvolvimento de aplicativos móveis são o primeiro passo para construir a ferrovia para a Internet descentralizada.

Além desses projetos de startups, a Emurgo já firmou parcerias de peso com empresas consolidadas no mercado como:

Y2X: presta serviços financeiros e administra ativos regulados. Irá acelerar o lançamento de STOs na plataforma Cardano. STOs são semelhantes a ICOs (tokens) e IPOs (bolsa de valores), com a diferença de que se referem a projetos blockchain regulamentados e autorizados a captar fundos.

Metaps+: plataforma de monetização. Criou o primeiro cartão de débito para utilização de ADA. Permitirá que consumidores utilizem suas ADAs em mais de 30.000 estabelecimentos comerciais na Coréia do Sul, incluindo lojas de conveniência bem conhecidas.

Recentemente, Charles Hoskinson também anunciou uma parceria com a empresa New Balance (gigante no mundo dos calçados), que iniciou a utilização da rede Cardano em 2020 para verificar a autenticidade de seus produtos.

Levando a criptoeconomia para países desbancarizados

Etiopia CardanoA Cardano tem como objetivo permitir que mais de 2 bilhões de pessoas que não possuem acesso a bancos possam usufruir dos benefícios básicos de uma conta digital. Além disso, o projeto tem criado centros de formação de desenvolvedores, capacitando residentes locais em regiões estratégicas para que possam criar aplicações no protocolo Cardano para utilização nos seus negócios, como o setor de Café na África (que é um mercado muito grande e pouco eficiente pela falta de tecnologia).

A Cardano já formalizou uma parceria com o Ministério de Ciências da Etiópia, possui o centro Emurgo Academy na Índia e parcerias com universidades e instituições governamentais na Indonésia.

Inovação no conceito de Interoperabilidade

interoperabilidade cardanoVoltando para a parte técnica, uma das principais características da Cardano está na sua proposta de interoperabilidade, cujo objetivo é permitir uma conexão direta entre as criptomoedas e as instituições financeiras, garantindo compliance e KYC (Know Your Customer).

Com interoperabilidade, é possível transferir valor entre diferentes blockchains, tornando o ecossistema interligado.

Essa proposta é tão ambiciosa que alguns projetos no ramo das criptomoedas foram criados especificamente com foco em interoperabilidade, como AION, Hshare, entre outros. Porém, a Cardano está indo além, focando não somente nos blockchains de criptomoedas, mas também no sistema financeiro convencional. Atualmente, o que ocorre no mundo das criptomoedas está alheio aos bancos. O que a Cardano está se propondo a fazer é permitir transparência nas transações realizadas no mercado de criptomoedas, acoplando-o no sistema financeiro atual utilizando metadata e attribution, sem perder privacidade. Essa funcionalidade permite que os governos dos países estabeleçam regras diferentes de compliance para negociação de criptomoedas e transferências de valor. É uma inovação sem precedentes que visa facilitar a adoção do sistema convencional com a novidade disruptiva do blockchain.

Alguns podem criticar esse ponto sob a ótica libertária, argumentando que isso concede poder aos governos para regulamentar e “oprimir” os cidadãos. Mas o fato é que muitos governos resistentes às criptomoedas (como a Índia, por exemplo) podem permitir que cidadãos utilizem uma moeda alternativa não inflacionária graças à transparência de identificações KYC. A Cardano pretende atuar em todas as esferas, conferindo privacidade a quem deseja, e conferindo compliance a quem deseja.

Ainda dentro do conceito de interoperabilidade, será possível trocar uma criptomoeda por outra dentro do sistema Cardano via Atomic Swaps, reduzindo a necessidade da existência de exchanges.

Facilidade para smart contracts financeiros

Uma das maiores utilidades dos smart contracts está na construção de aplicações financeiras. Por isso, Cardano está construindo uma camada voltada exclusivamente para essa finalidade chamada Marlowe, com o objetivo de permitir a construção de contratos inteligentes sem a necessidade de programação.

Isso mesmo, em vez de precisar utilizar linguagens de programação complicadas, vai ser possível criar contratos financeiros arrastando e soltando módulos prontos, com uma interface muito amigável. E apesar de ser muito simples criar as aplicações, o que ocorre por trás do código de Marlowe passa por verificação formal através da camada Plutus.

Quantum resistant

Com a chegada dos computadores quânticos, tecnologia emergente que promete revolucionar a velocidade de processamento, o sistema criptográfico atual corre sério perigo de quebra e decodificação.

O projeto Cardano está sendo construído já preparado para essa nova era, por meio meio de um sistema quantum resistant, ou seja, que não pode ser quebrado mesmo com supercomputadores quânticos.

Treasury e Sustentabilidade

Para garantir a sustentabilidade da moeda no longo prazo, parte das taxas capturadas em transações realizadas na rede Cardano irão para um tesouro (treasury), com o objetivo de servir como reserva de valor para permitir investimentos futuros em novas implementações ou divulgações do projeto. A utilização desse fundo passará por votação de toda a comunidade, optando pela melhor utilização dos recursos.

Essa iniciativa é fundamental para que o projeto sobreviva no longo prazo, sem depender de doações para continuar o desenvolvimento e atualizações do protocolo com o passar do tempo.

Roadmap Transparente

Um bom projeto precisa ser transparente, mostrando metas e prazos. O roadmap da Cardano se propõe a ser exatamente isso, mostrando os planejamentos e as funcionalidades a serem desenvolvidas, o benefício que cada atualização terá para o projeto e o status atual de cada tarefa. No canal da Emurgo no Youtube, o desenvolvedor Sebastian Guillemot publica o progresso do projeto rotineiramente. Charles Hoskinson também posta vídeos regularmente atualizando a comunidade e respondendo dúvidas em seu canal. A Cardano possui muitas frentes de troca de informações, concentrando os compartilhamentos da comunidade no fórum oficial.

Isso gera confiança para o mercado, mostrando que o time está focado e comprometido com os avanços, possuindo planos concretos para atingir seus objetivos.

Resumidamente, o projeto Cardano está sendo desenvolvido em 5 fases:

  1. Byron: lançamento inicial da rede Cardano com o protocolo PoS Ourobouros Classic. Usuários podem transferir ADAs uns para os outros e armazenar em wallets pessoais. Lançamento ocorreu no 3º Trimestre/2017.
  2. Shelley: descentralização da rede Cardano. Na fase Byron, todos os nodes de consenso do protocolo são administrados pela equipe Cardano. A fase Shelley permite que qualquer usuário participe desse processo, iniciando a descentralização, juntamente com o conceito de staking já mencionado anteriormente. Protocolo Ourobouros Genesis substitui o Ourobouros Classic. Lançamento na mainnet ocorreu na metade de 2020. Em dezembro/2020, 70% de todos os blocos eram validados pela comunidade, isso seguirá aumentando gradativamente até que, em Março/2021 a rede esteja 100% descentralizada.
  3. Goguen: smart contracts. Essa fase permitirá a construção de smart contracts na plataforma Cardano. Lançamento previsto: Julho/2021. A fase Goguen está sendo lançada por meio de hardforks programados. O hardfork Mary ocorreu em 01/03/2021 e trouxe a capacidade de criação de native tokens (como NFTs, por exemplo).
  4. Basho: desempenho, segurança e escalabilidade. Essa fase implementará recursos avançados para a escalabilidade da rede Cardano, bem como a versão Ourobouros Praos. Esse lançamento se dará em várias etapas, iniciando em 2021.
  5. Voltaire: o foco da fase Voltaire será a implementação de um modelo de tesouraria (treasury), para garantir a sustentabilidade do projeto no longo prazo, bem como um modelo muito robusto de governança para tomada de decisões da comunidade em relação ao futuro do projeto. Essa fase já começou em 2020. Em março de 2021, encerrou-se o 3º funding (fund3) que marcou a votação da comunidade em projetos diretamente pela wallet Daedalus.

Wallets oficiais da Cardano

A wallet que roda um nó completo da Cardano chama-se Daedalus e pode ser baixada aqui. A wallet que roda um cliente leve chama-se Yoroi e pode ser utilizada como extensão no Google Chrome ou em telefones celulares, confira aqui.

Equipe por trás do projeto

Tudo isso que acabamos de ver parece bom demais para ser verdade, pois trata-se de um projeto capaz de revolucionar o mercado. Para conseguir tal feito, é necessário uma equipe de desenvolvimento extremamente competente, criativa e eficaz.  Felizmente, podemos garantir que a equipe por trás desse projeto é sim extremamente forte.

A IOHK, equipe responsável pelo desenvolvimento do protocolo, possui mais de 200 profissionais dedicados full time ao projeto Cardano, incluindo PHDs, doutores, mestres, professores, pesquisadores, cientistas, engenheiros e centenas de desenvolvedores experientes, além de parcerias com grandes universidades. A proposta de trabalhar com filosofia científica faz com que todos os papers e proposições sejam revisadas por acadêmicos especializados, para endossar a segurança, a validade e confiabilidade das implementações. Enquanto a maioria dos projetos de criptomoedas possuem um ou dois white papers explicativos sobre seu protocolo, a Cardano já possui mais de 100 (continuamente aumentando, pois o processo de pesquisa não cessa), tendo conquistado mais de 50 aprovações em comitês de criptografia e revisão acadêmica (peer review).

Encabeçando o projeto, temos nomes bem conhecidos do mercado cripto como Charles Hoskinson e Jeremy Wood. A combinação de diferentes equipes, empresas, universidades e profissionais faz com que o potencial cerebral do time Cardano seja incomparável. É um time que veio para abalar e reescrever o futuro cripto.

A Cardano já é o projeto que mais possui commits (contribuições de desenvolvimento).

Atualmente, 3 instituições são responsáveis pelo ecossistema Cardano: IOHK, Emurgo e Cardano Foundation. A IOHK é responsável pelo desenvolvimento do código principal da Cardano. Emurgo é a responsável pelas parcerias com empresas, lançamento de programas de educação e promoção do projeto, bem como desenvolvimentos específicos como a wallet Yoroi. Possui cerca de 40 pessoas trabalhando na equipe. Cardano Foundation é a fundação do projeto, tendo como função fortalecer a comunidade e permitir que o ecossistema cresça dando oportunidade para pessoas contribuírem com o projeto, bem como estreitando relações com ONGs, governos, legisladores, entre outros.

A comunidade de código aberto Cardano vem crescendo a cada dia, atraindo mais desenvolvedores e participantes interessados a revisar os códigos, sugerir funcionalidades e contribuir com melhorias para o projeto como um todo, em todos os aspectos.

Se o mercado cripto é um trem e as criptomoedas são os vagões desse trem, não seria exagero dizer que a Cardano é uma locomotiva à parte trabalhando com um super motor.

3.600 palavras depois…

Se você acredita no potencial das criptomoedas e na tecnologia disruptiva do blockchain, não há dúvidas de que a Cardano precisa estar em seu radar. Então reflita se vale a pena investir nessa moeda. Você pode conferir nesse artigo: como comprar Cardano os detalhes para comprar e armazenar suas ADAs em segurança.

Última atualização: 04/03/2021