Ícone do site Criptomoedas

O que é Ethereum e como funciona?

ethereum
Símbolo ETH

Ao se deparar com a lista de criptomoedas, é impossível não ver que a Ethereum é um dos maiores projetos atualmente. Mas afinal, o que é Ethereum?

Ethereum é uma plataforma para construção de contratos inteligentes (smart contracts) utilizando blockchain. Podemos definir a Ethereum em poucas palavras como sendo um blockchain programável. Ou seja, é possível construir aplicações blockchain utilizando uma linguagem de programação na plataforma Ethereum. Para entender como funciona, é importante fazer uma comparação com o Bitcoin.

Enquanto o Bitcoin (BTC) tem como objetivo servir como uma moeda digital, o Ether (ETH) basicamente serve como moeda para financiar projetos novos construídos na plataforma Ethereum, e também serve para pagar pelos custos de operação dos projetos nessa plataforma.

Que tipos de projetos podem ser construídos na Ethereum?

Através da tecnologia de contratos inteligentes, é possível utilizar uma linguagem de programação chamada Solidity (criada pelo fundador da Ethereum) para criar aplicações descentralizadas, como casas de apostas, sistemas de crowdfunding, redes sociais, enfim, o céu é o limite.

A Ethereum permite que a tecnologia blockchain, utilizada pela primeira vez no Bitcoin, possa ser facilmente manipulada para criação de outros projetos a partir de programação. Inclusive, é muito fácil criar uma nova criptomoeda utilizando a Ethereum.

Muitas criptomoedas estão na plataforma Ethereum, ou seja, utilizam a rede Ethereum como base para o seu próprio token. Geralmente chamamos de “token” a criptomoeda que reside em uma plataforma de smart contracts. Alguns exemplos são Maker (MKR), OmiseGO (OMG), Augur (REP), 0x (ZRX) e muitas outras.

Logo depois da criação da Ethereum, ficou muito mais fácil construir uma criptomoeda do zero, por isso o número de criptomoedas no mercado aumentou abruptamente.

Atualmente, a Ethereum não é mais a única plataforma de smart contracts, existem outras como Cardano, NEO, EOS, Tron, etc. Mas a Ethereum ainda é a mais famosa pelo fato de ter sido a primeira.

Como a Ethereum começou?

Vitalik Buterin

A Ethereum foi criada em 2014 por Vitalik Buterin, um programador russo prodígio. Vitalik esteve envolvido com o projeto Bitcoin nos seus primórdios. A partir dos seus conhecimentos, teve a ideia de desenvolver uma plataforma onde fosse possível programar a tecnologia blockchain, o que revolucionou o mercado. Nascia a Ethereum.

Logo após a criação do projeto, uma falha de segurança em um smart contract na plataforma permitiu que um hacker roubasse centenas de milhões de dólares. Os programadores envolvidos com o projeto discutiram muito a respeito do que fazer: permitir que o hacker ficasse com o dinheiro ou congelar os fundos, alterando o código original da plataforma. Como não houve consenso, o projeto teve que passar por um fork e passaram a existir dois projetos distintos: Ethereum Classic (o protocolo original) e Ethereum (a ramificação que congelou os fundos do hacker). A maioria dos desenvolvedores ficou do lado da Ethereum ramificada. O argumento daqueles que não queriam recuperar os fundos perdidos pelo hacker era que “código é lei”, ou seja, se os usuários da plataforma não puderem confiar que o código base de um smart contract nunca será alterado, como garantir que manipulações prejudiciais ocorram no futuro? Em outras palavras, o contrato inteligente criado estará sempre sujeito a modificações, e isso caracteriza um sistema centralizado, não descentralizado. Entre os discordantes estava Charles Hoskinson, que deixou o projeto após esse episódio e fundou a Cardano em 2017.

Após esse incidente, a Ethereum apenas cresceu em tamanho e reconhecimento. Demorou bastante tempo até que novas plataformas de smart contracts (concorrentes) fossem criadas para rivalizar com a Ethereum, e permitiu que a Ethereum dominasse o mercado.

Parcerias com empresas e instituições

Atualmente, existe a Enterprize Ethereum Alliance, que é uma organização voltada a softwares de nível empresarial capazes de lidar com os aplicativos complexos e altamente exigentes na velocidade dos negócios no protocolo Ethereum. A Enterprise Ethereum Alliance conecta empresas da Fortune 500, startups, acadêmicos e fornecedores de tecnologia com especialistas em assuntos da Ethereum. Entre os membros do conselho, destacam-se grandes corporações como Microsoft, JP Morgan, Intel, entre outros.

A Enterprize Ethereum Alliance também formalizou uma parceria de interoperabilidade com a Hyperledger (outra solução de código aberto blockchain para negócios muito famosa – criada pela Linux Foundation) em 2018.

Até mesmo o presidente da Rússia (Vladimir Putin) se encontrou com Vitalik em 2017 para discutir oportunidades da Ethereum no país.

Equipe

Além de Vitalik, a Ethereum conta com mais de 200 desenvolvedores ativos trabalhando no protocolo principal e também em camadas secundárias. O interesse pelo projeto cresceu bastante logo após o lançamento, criando uma cultura semelhante ao Bitcoin, mas no mundo dos smart contracts.

Futuro do projeto

A Ethereum trabalha constantemente para aprimorar sua plataforma. Os maiores desafios são escalabilidade (capacidade de crescer o número de usuários sem prejudicar a arquitetura e sem aumentar as taxas/congestionamento na rede), segurança e eficiência computacional.

No ramo da eficiência computacional, o projeto irá mudar seu algoritmo de consenso, que atualmente é Proof of Work (PoW) para Proof of Stake (PoS), com o protocolo Casper. Essa mudança está prevista para acontecer por volta de 2021-2022.

Juntamente com o PoS, a Ethereum está trabalhando em soluções de segunda camada para aumentar a escalabilidade, das quais podemos destacar o projeto Plasma, semelhante à lightning network do Bitcoin.

O projeto também está aumentando suas exigências de segurança por meio de verificação formal de software, adotando uma solução chamada K Framework desenvolvida pela empresa Runtime Verification.

Vale a pena comprar Ethereum?

Com o crescimento da tecnologia blockchain, parece ser uma boa ideia investir nos principais projetos do segmento. Atualmente, Bitcoin e Ethereum lideram o mundo dos projetos descentralizados e são os pioneiros nos seus conceitos.

Porém, a Ethereum está pela primeira vez recebendo concorrentes fortes, plataformas que prometem trazer soluções técnicas para os problemas que a Ethereum enfrenta e outras funcionalidades. Então é difícil saber o que irá acontecer no futuro.

O que a Ethereum tem a seu favor é a adoção atual e as parcerias já conquistadas no mercado. Se alguém conseguirá destronar a Ethereum, não sabemos.

Para investir em Ethereum, leia esse artigo: como comprar Ethereum no Brasil.

Conheça também outros projetos no mundo dos criptoativos:

Sair da versão mobile